Ir para o Conteúdo da página Ir para o Menu da página

Artigos

25/02/2013

Marcados

Marcados

Querido leitor, que você esteja bem e em paz. Hoje vamos refletir um pouco sobre marcados.

Como sabemos, na pecuária ainda nos tempos remotos da dita modernidade, desde que o homem dominou o fogo e o manuseio do minério de ferro, os animais passaram a ser marcados. O principal objetivo dessa prática é marcar o gado para que, mesmo depois de roubado ou misturado com outra manada, pode ser reconhecido no meio de outros animais. Gado marcado.

Na Idade Média, os monarcas tinham como procedimento fixar uma coleira de ferro no pescoço dos reclusos que, assim, sofriam duas vezes: preso no calabouço e preso à coleira de ferro. Mas eis que esta coleira, de tanto roçar no pescoço, criava ferida que depois cicatrizava, deixando uma marca. Homem marcado.

Como você pensa que era a vida desses seres humanos marcados? Ao buscar uma nova vida, um renascimento, uma transformação, eram descobertos com a marca escondida embaixo do cachecol. O que sobrava a estes homens? Serem bandidos, assumirem o único papel existencial que lhes restou pela sociedade.

No livro “Os Miseráveis”, de Victor Hugo, o inspetor Javert passa sua existência no encalço de Jean Valjean porque, a seu ver, pau que nasce torto não se regenera. Para ele, Valjean, que foi preso por roubar um pão, praticaria outro crime tão logo saísse da cadeia. Era homem marcado.

A parábola do filho pródigo é uma bonita metáfora contra o boi marcado, contra o homem marcado. Com a volta do seu irmão mais jovem ao lar, o filho mais velho questiona seu pai: por que dar a festa ao vagabundo de seu filho se o mesmo o abandonou? Por que, então, não dar uma festa pra ele, o mais velho, que permaneceu ao seu lado?

Refletindo sobre estes exemplos, concluo que, muitas vezes, nossa sociedade faz como o irmão mais velho fez, enxerga seu irmão apenas como um vagabundo, reduzindo ao seu último ato e, fazendo isso, colocamos um carimbo e ele, mesmo que queira, não tem oportunidade de ser outra pessoa. É um homem marcado.

Isso é assim para mim hoje. E você, o que pensa sobre homem marcado?

Beto Colombo
______________________________________________________
Artigo veiculado na Rádio Som Maior FM no dia 25/02/2013.

Carregando sistema de comentários
Veja todos os artigos